Korban no hebraico indica “sacrifício”, mas alude a clara ideia de:
 
“DESISTIR DE ALGO PARA OUTRA PESSOA”.
Sim… “Sacrifício” significa desistir de algo para outra pessoa.
 
Mas para entender os “sacrificios” (Korbanot – Sacrifícios no deserto) é preciso voltar os olhos para o que a Torá da verdade afirma.
 
Vemos na Torá nos livros de Êxodo, Levítico e Números que os sacrifícios foram definidos pelo Eterno de maneira clara e inteligente.
 
É na Torá que podemos ver que o grupo de pessoas chamado Cohanim (“Sacerdotes”) foram os únicos que foram autorizados a fazer sacrifícios para levar as pessoas perto de Shehmaa Eloowwem. O primeiro kohen foi Aaron , e seus filhos se tornaram kohanim depois dele, chegando até os nossos dias..
 
É na Torá que entendemos que os Cohanim fariam sacrifícios para si próprios, para outros Israelitas individuais ou para todo o povo Israelita.
 
É na Torá que estes sacrifícios são chamados de korbanot.
 
A palavra korban significa “algo que se aproxima”.
 
O objetivo deles era aproximar as pessoas de Shehmaa Eloowwem.
 
Os Cohanim ofereceriam korbanot todos os dias durante os serviços da noite, da manhã e da tarde. Além disso, eles ofereceriam korbanot nos feriados e sempre que alguém (que não fosse um kohen) quereria ajudar a fazer um sacrifício próprio.
 
Vemos também na Torá que existiam 3 formas de korbanot:
 
1 – Animais.
2 – Grãos.
3 – Dinheiro.
 
Os animais seriam mortos.
 
O grão seria queimado.
 
O dinheiro seria doado.
 
Portanto o que caracteriza o korban é o efeito direto de “perda”!
 
Um sacrifício que não incorra em “perda”, não é de fato um sacrifício.
 
Veja:
 
Devarim(deut) 17:1
א לא תזבח ליהוה אלהיך שור ושה אשר יהיה בו מום–כל דבר רע כי תועבת יהוה אלהיך הוא {ס}
1 Não sacrificarás ao Shehmaa teu Eloowwem, boi ou gado miúdo em que haja defeito ou alguma coisa má; pois abominação é ao Shehmaa teu Eloowwem.
 
Isso significa que um animal com defeito, que não serviria nem para o consumo humano não pode também ser sacrificado, ou seja… se não serve para nós não serve também para ser sacrificado.
 
Se não tem valor para nós, não tem valor também para Ele.
 
Vaikrá(Lev) 5:18
יח והביא איל תמים מן הצאן בערכך לאשם–אל הכהן וכפר עליו הכהן על שגגתו אשר שגג והוא לא ידע–ונסלח לו
 
18 E trará ao sacerdote um carneiro sem defeito do rebanho, conforme à tua estimação, para expiação da culpa, e o sacerdote por ela fará expiação do erro que cometeu sem saber; e ser-lhe-á perdoado.
 
Mas o sacrifício não era apenas para pessoas abastadas e ricas, as pessoas mais pobres também sacrificavam mesmo que não tivessem animais para isso, elas ofereceriam grãos ou dinheiro.
 
Vaikrá(Lev) 5:11
א ואם לא תשיג ידו לשתי תרים או לשני בני יונה–והביא את קרבנו אשר חטא עשירת האפה סלת לחטאת לא ישים עליה שמן ולא יתן עליה לבנה–כי חטאת הוא
 
 
11- Porém, se em sua mão não houver recurso para duas rolas, ou dois pombinhos, então aquele que pecou trará como oferta a décima parte de um efa de flor de farinha, para expiação do pecado; não deitará sobre ela azeite nem lhe porá em cima o incenso, porquanto é expiação do pecado;
 
Shehmaa é justo, possibilitando também aos pobres o sacríficio.
 
Vaikrá(Lev)14:21
כא ואם דל הוא ואין ידו משגת–ולקח כבש אחד אשם לתנופה לכפר עליו ועשרון סלת אחד בלול בשמן למנחה–ולג שמן
 
21 Porém se for pobre, e em sua mão não houver recursos para tanto, tomará um cordeiro para expiação da culpa em oferta de movimento, para fazer expiação por ele, e a dízima de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta de alimentos, e um logue de azeite,
 
 
Os kohanim são também chamados de “aqueles que se aproximam do Shehmaa”.
 
Shemot(Êx) 19:22
כב וגם הכהנים הנגשים אל יהוה יתקדשו פן יפרץ בהם יהוה
 
22 – E também os sacerdotes, que se chegam ao Shehmaa, se hão de santificar, para que o Shehmaa não se lance sobre eles.
 
 
Por isso, oferecer korbanot envolve o fechamento da distância entre seres humanos e Shehmaa Eloowwem.
 
De fato, Shehmaa Eloowwem disse a Mooshe para que construa o santuário onde os korbanot são oferecidos para que Shehmaa Eloowwem possa “habitar” entre os povos de Israel.
 
Shemot(Êx) 25:8
ח ועשו לי מקדש ושכנתי בתוכם
 
8- E me farão um santuário, e habitarei no meio deles.
Interessante salientar que o Criador ordena a construção de um Santuário ou seja, o Tabernáculo, mas encontramos em nenhum lugar em toda a Torá a ordem se construir um templo de pedra em Jerusalém.
 
 
Portanto temos por fundamento em Shemot(Êx)25:8 que o Santuário onde deveriam fazer os sacrifícios era no Monte Gerizim, conforme a Torá determina.
 
Devarim(deut)11:29
 
29- E será que, quando o Shehmaa teu Eloowwem te introduzir na terra, a que vais para possuí-la, então pronunciarás a bênção sobre o monte Gerizim, e a maldição sobre o monte Ebal.
 
כט והיה כי יביאך יהוה אלהיך אל הארץ אשר אתה בא שמה לרשתה–ונתתה את הברכה על הר גרזים ואת הקללה על הר עיבל
Ali era o local onde se faria os sacrifícios foi a unica maneira de aproximar os Israelitas do Criador, Shehmaa Eloowwem.
 
Devarim(deut)27:12
 
יב אלה יעמדו לברך את העם על הר גרזים בעברכם את הירדן שמעון ולוי ויהודה ויששכר ויוסף ובנימן
12- Quando houverdes passado o Jordão, estes estarão sobre o monte Gerizim, para abençoarem o povo: Simeão, e Levi, e Judá, e Issacar, e José, e Benjamim;
 
Mas… Por que sacrificar animais?
 
Muitas vezes, temos perguntas sobre por que os animais foram escolhidos para serem mortos para que os seres humanos possam se aproximar de Shehmaa Eloowwem.
 
Korbanot foi usado para aproximar as pessoas de Shehmaa Eloowwem.
 
Israelitas trouxeram oferendas de animais, grãos ou dinheiro aos kohanim, e os kohanim, por sua vez, os ofereceram como sacrifícios a Shehmaa Eloowwem.
 
Este foi o principal processo usado para conectar Israelitas antigos com Shehmaa Eloowwem.
 
As pessoas abriram mão de seus preciosos bens, o que significava sua dedicação a Shehmaa Eloowwem, e isso se tornou a parte mais importante do culto Israelita.
 
Após o ocultamento do Tabernáculo os Israelitas deixaram de oferecer korbanot.
 
Passaram a oferecer apenas o sacrificio de Pessach anualmente, e deram continuidade ao uso das orações que sempre os acompanharam junto ao ato de sacrificar.
 
Hoje podemos nos aproximar de Shehmaa Eloowwem com as palavras da boca e não apenas com os sacrifícios físicos.
 
Por isso mantemos as rezas pela manhã e a noite, sempre voltados em direção ao HarGerizim o Monte da Verdade.
 
Aprendemos com os korbanot que devemos dar algo de nós mesmos para nos aproximar de Shehmaa Eloowwem.
 
Isso nos ensina uma maravilhosa lição… de que ajudar outras pessoas com alimentos e até financeiramente por ser a maneira mais direta de nos aproximar de Shehmaa Eloowwem, pois estaremos abrindo mão de algo que para nós tem valor, como alimentos, dinheiro, sempre visando ajudar outras pessoas ao invés de pensar apenas em nós mesmos.
 
E eles nos ensinam que as rezas e a oração podem ser mais profundas quando compreendemos os rituais antigos.
Portanto, definitivamente, entendemos que o korbanot ainda nos leva à santidade hoje em nossos dias.