Israelitas Samaritanos creem na singularidade do Shehmaa de Israel.

Nota:
O significado da palavra Singularidade

– Singularidade é o termo que se refere a algo ou alguém que possui a característica de ser único, que se distingue dos demais, extraordinário. Ela pode ser descrita como uma qualidade ou adjetivo atribuído a um ser vivo que seja singular, que se diferencie do restante dos seus semelhantes, seja por suas atitudes ou por outras características que não tenham pluraridade.

Shehmaa existia antes do mundo e existirá depois do mundo, e acompanhará o seu povo Israel ao longo da história.

Israelitas Samaritanos escrevem seu Nome como está escrito na Torá:

Ou seja, escrevem יהוה e o pronunciam sempre letra por letra, Yut-Eyy-Baa-Eyy, mas nunca pronunciam o seu “O Nome“, ao invéz disso, em qualquer lugar que esteja escrito “O Nome” (ou seja, o tetragrama), quer seja na Torá ou até mesmo em uma oração pronunciam “Shehmaa” que significa “O Nome“.

Israelitas Samaritanos têm o cuidado de não pronunciar o nome de “Jeová” para “não invocar ao Seu Nome” em vão como determina o Segundo Mandamento no decálogo.

Shehmaa tem muitos outros títulos na Torá, tais como:

Eloowwem = “Shehmaa de todos os deuses” ou seja “yyee Eshaar Eyyee” que significa “Eu serei o que eu serei“, o que é uma descrição de Shehmaa que esteve no passado e Ele está no presente e que Ele estará no futuro.

Em todos os tempos ou seja, tanto no Passado-Presente-Futuro está presente o seu Nome.

Portanto, Ele será quem será em todos os tempos.

Ele também é chamado de “El” no sentido de ser “Único Shehmaa”, aquele que não tem parceiro.

Ele é o único que criou o mundo.

Ele também é chamado de “Il Sheddee“, isso significa que não há necessidade de outro Todo-Poderoso.

Seu Nome era conhecido por Shehmaa por Abraão, Isaque e Jacó, e a seus filhos, em primeiro lugar, a Mooshe, a quem seu Nome foi conhecido no Sinai.

No Monte Horev no primeiro encontro entre eles quando Seu Anjo falou com Mooshe na sarça ardente.

Ele deu a Mooshe a missão de libertar os israelitas da escravidão no Egito e de guiar o povo em sua caminhada pelo deserto no Sinai até à Terra Prometida.

Ele é o Todo-Poderoso do céu e da terra, Ele é o Todo-poderoso de todos os deuses e o Mestre de todos os Mestres, o Grande Todo-Poderoso, que não oculta o Seu rosto e não aceita o suborno, o que cuida do órfão e da viúva e ama ao estrangeiro dando a ele vestimentas.

Os anjos trazem suas mensagens tanto para o bem como também para o mal.

Estes anjos foram revelados aos antepassados ​​da nação israelita a Mooshe e a Yehoshua seu sucessor.

Os Anjos estão diante d’Ele no Santuário Sagrado, e eles estão diante do povo de Israel em tempos de alegria e festas, nos sábados, em tempos de guerra, e livram aos quem merecem das tribulações.

O povo de Israel deve amar a Shehmaa com todo o coração e com toda sua alma e com todas suas forças, para guardar seus estatutos, seus mandamentos e suas leis todos os dias.

Benyamim Tsedaka
Tradução livre Ariel Haddad Ben Abraahm.