À medida que os Israelitas Samaritanos espalharam toda a terra de Israel de Samaria para a costa do Mar Mediterrâneo em algumas cidades e muitas aldeias que estavam sob a pressão do domínio dos pagãos romanos e o controle de seus governadores.

Isso levou a muitos confrontos entre eles e as ligas romanas, suas sinagogas destruídas ou trancadas e impedidas de praticar a circuncisão.

Em muitos períodos de tempo, os samaritanos israelitas foram impedidos de peregrinos para seus locais sagrados no topo do Monte Gerizim.

Este foi o período privilegiado da diáspora samaritana em Roma, Grécia e Egito em várias ilhas do Mar Mediterrâneo.

O número de Samaritanos que viviam fora de Israel, na diáspora era estimado de 150 mil indivíduos.

Enquanto isso, já no final do terceiro século, o Império Romano adotou o cristianismo como única religião e suas primeiras ações foi cristianizar os não-cristãos.

Na época em que o cristianismo desejou manter o judaísmo para servir como “testemunha da verdade da religião cristã”, o cristianismo romano não considerava os samaritanos no mesmo status que os judeus e começava a forçá-los a converter-se ao cristianismo.

Mas no início deste período durante o século IV EC durante a transmissão entre os romanos pagãos até o momento da adoção do cristianismo levantou entre os samaritanos israelitas um herói filho do alto sacerdócio em Siquém perto do Monte Gerizim, Baba Rabba, seu nome no significado do grande pai.

Por 40 anos, liderou os samaritanos para uma idade dourada em muitos aspectos.

Baba Rabba dividiu os Israelitas Samaritanos em toda a terra em 12 regiões e nomeou um governador e um líder sacerdote para restaurar a vida social e religiosa da entidade samaritana e construiu 11 sinagogas em substituição das que foram destruídas pelos romanos pagãos.

Ele renovou as peregrinações ao monte Gerizim e nomeou um conselho de 7 sábios para dirigir a vida com base na verdade da Torá.

Ele também ganhou muitas guerras com as ligas romanas.

As escavações em muitas partes da Terra de Israel provaram a expansão samaritana durante este período.

Eventualmente, ele foi convidado para Constantinopla, a capital do bizantino, para conhecer o Ceasar Bizantino.

Baba Rabba recusou-se a voltar para o povo.

Ele morreu no cativeiro.

Este foi o fim da era de ouro do século IV dos Israelitas Samaritanos.

Mesmo assim, foi na época de Baba Rabba que se criou os fundamentos da fé Israelita Samaritana.

Benyamim Tsedaka

Tradução livre
Ariel Haddad Ben Abraahm