O Divórcio05

O número de divórcios entre a comunidade israelita-samaritana é muito pequeno, no século 20 e no século 21, o número de divórcios é menor que o número dos dedos em ambas as mãos.

Um quadro semelhante foi visto nos séculos 18 e 19, quando a causa do divórcio era a incapacidade da mulher conceber, e então o homem divorciado se casaria com outra mulher de dentro da comunidade para lhe dar um sucessor.

Comparado com o tamanho da comunidade com 200 almas no século 18 e 810 almas no presente, o número de divórcios entre a comunidade israelita dos samaritanos não é pequeno.

A Torá estabelece vários motivos para o divórcio:

  1. A desonra de um dos cônjuges contra o seu cônjuge,
  2. O adultério de um dos cônjuges.

Desde que os samaritanos israelitas começaram a se casar com mulheres de fora da comunidade, uma terceira razão foi acrescentada:

3. O desajuste da mulher ao estilo de vida tradicional de seu marido.

Neste caso, a mulher de fora da comunidade não está disposta a aceitar o veredicto do Sumo Sacerdote, então o casal recorre à decisão do Tribunal de Paz do Governo.

Mas a maioria dos divórcios foi realizada pelo Sumo Sacerdote nos últimos séculos.

Às vezes ele decide em favor do marido divorciado e às vezes em favor do divorciado, geralmente pagando uma multa.

Às vezes, o alto valor da multa faz com que o casal se una e tente viver juntos novamente.

No final, o divórcio é uma questão que o israelita samaritano e a comunidade tentam evitar porque o divórcio tem um impacto sério no relacionamento intercomunitário, mesmo que o divórcio não viole os mandamentos da Torá.

Quando não há escolha, o processo de divórcio é realizado.

O casal que está prestes a se divorciar vem para o Sumo Sacerdote.

Eles apresentam suas acusações um contra o outro.

O Sumo Sacerdote exige que ambos voltem depois de um ano.

Eles devem tentar se reconciliar.

Às vezes, a proposta do Sumo Sacerdote os leva ao cancelamento da exigência de divórcio, mas geralmente não há reconciliação porque o assunto vem do controle do casal e passa para o controle de seus parentes, cuja intervenção impede a possibilidade de reconciliação.

O casal então retorna ao Sumo Sacerdote e o informa de sua forte vontade de se divorciar, porque todas as tentativas de reconciliação entre eles não produziram um resultado positivo.

O Sumo Sacerdote escreve o Escritura de Divórcio em um formato fixo, incluindo os nomes do homem divorciado e da divorciada.

A parte culpada no divórcio é determinada pelo Sumo Sacerdote.

O Sumo Sacerdote assina a Escritura de Divórcio que será entregue ao marido que a entrega à mulher.

O divórcio está então formalizado… para o desalento de muitos na comunidade israelita samaritana.

Benyamim Tsedaka

Tradução livre
Ariel Haddad Ben Abraahm