A morte

Quando um samaritano israelita morre

Os samaritanos israelitas na Terra Santa têm dois cemitérios, o principal perto do bairro de Kiryat Luza, o monte Gerizim, e o segundo, em Kiryat Shaul, Tel Aviv, perto do cemitério militar.

O primeiro cemitério foi inaugurado em 1964 quando eles pararam de enterrar no cemitério em Nablus e o segundo foi inaugurado oficialmente em 1954, durante o período de desconexão política entre as duas partes da comunidade em 1948-1967.

Apenas alguns foram enterrados no segundo cemitério.

A maioria dos mortos na comunidade está enterrada no Monte Gerizim.

Os cemitérios são organizados e atendidos pelos comitês comunitários no Monte Gerizim e Holon.

Quando um samaritano israelita morre, mesmo antes de ser enterrado, seja homem ou mulher, primeiro será lida toda a Torá ao lado do corpo dos mortos, imediatamente depois que ele falecer.

É lido Gênesis 1: 1 até o final do capítulo 31 no livro de Devarim (Deuteronomio).

Então, alguns parentes lavam o cadáver e o envolvem em uma mortalha de tecido de algodão e o colocam em um caixão de madeira.

Na conclusão da leitura da Torá, eles declaram lamentos, e então os jovens carregam o caixão dos mortos sobre seus ombros.

Então eles lêem o Poema de Mooshe  em Devarim (Deuteronômio) 32:1-38, e durante a cobertura do sepulcro com cimento, eles terminam de ler a Torá até o fim Devarim (Deuteronômio) 34:12.

Depois de uma breve oração, o Sacerdote mais velho faz uma oração em memória dos mortos.

Se não houver nenhum sacerdote entre os enlutados, o homem mais velho  se encarrega fazer uma reza, uma oração com texto pre-escritoem que se menciona o nome do falecido, o nome do pai e o nome da sua casa, com os melhores votos de que seu espírito habite no céu (paraiso) para sempre.

O Sumo Sacerdote não entra no cemitério.

Ele espera do lado de fora na sala de recepção até o final da cerimônia e, em seguida, com todos os membros da comunidade conforta os presentes.

O caixão é colocado dentro da sepultura que foi cavada naquele dia, e os mortos estão deitados de costas com o rosto voltado para a direção do monte Gerizim.

Depois de colocar o caixão no túmulo, colocando uma cobertura de lajes de concreto sobre a estrutura da tumba e, em seguida, o solo sobre as placas de concreto.

Depois de sete dias, até antes de chegar a trinta dias, uma lápide simples é colocada com o nome do falecido.

É praticado o Luto pelos mortos durante sete dias, onde todas as noites e todas as manhãs as pessoas se reúnem na casa dos falecidos e rezam em sua memória.

Lamentadores escrevem lamentações em memória dos mortos e cantam nessas reuniões.

Algumas pessoas vão à sepultura no aniversário da morte da pessoa, mas geralmente rezam no cemitério pelos mortos na véspera do Pessach e na véspera do Dia da Expiação (Yom haKippur) e também mais três vezes no ano após a peregrinação ao Monte Gerizim.

Qualquer um que tocar os mortos enquanto lava seu corpo e levar o caixão para o túmulo deve ser imerso em água para se purificar.

Eles são impuros até a noite.

Benyamim Tsedaka

Tradução livre
Ariel Haddad Ben Abraahm