A história de Dhavi

O pequeno Dhavi Henrique Santiago de Aquino, 4 anos precisa de sua ajuda.

O garoto tem osteopetrose, doença que provoca o desenvolvimento de ossos muito densos e quebradiços.

“No caso dele, que nasceu com esse problema, somente o transplante de medula óssea pode curar”, frisa a mãe Laura Santiago de Oliveira, 32, que tem mais uma filha, Laysa, 15.

Ela lembra que os médicos tiveram dificuldade de chegar ao diagnóstico, ocorrido apenas em outubro do ano passado, atrasando a entrada do garoto na fila de espera pelo transplante.

Mais informações no site: Ameo – Associação da Medula Óssea

O pequeno Dhavi conta com sua ajuda.

Em razão disso, a doença, que dificulta o crescimento, fez Dhavi ficar com a visão de um dos olhos embaçada, perder os dentes e ter a audição prejudicada parcialmente.

“O problema pode causar ainda paralisia e falta de ar, porque os ossos vão comprimindo, e pode levar a morte por infecção. Vivemos um dia após o outro”, desabafa a mãe.

Para participar da campanha, você pode fazer doações em dinheiro.

Fizemos uma “vaquinha” para ajudar financeiramente o tratamento de Dhavi, cada um dá um “pouquinho”, com a ajuda de todos poderemos ajudar no tratamento de Dhavi.

Clique aqui e veja como é fácil ajudar ao Dhavi!

Você também pode doar sua medula, basta fazer seu cadastro no o Redome (Registro de doadores Voluntários de Medula Óssea), que reúne informações de pessoas dispostas a doar medula óssea.

Lá será coletada amostra de sangue para a tipagem de HLA  com as características genéticas importantes para a seleção de um doador.

Osteopetrose, literalmente “osso de pedra”, também conhecido como doença dos ossos de mármore e doença de Albers-Schonberg é uma desordem hereditária extremamente rara através do qual ocorre o endurecimento dos ossos, tornando-se mais densos, em contraste com condições mais prevalentes como a osteoporose, em que os ossos tornam-se menos densos e mais frágeis, ou a osteomalacia, em que os ossos enfraquecem. Tem uma incidência de 1 em 20.000 nascimentos e 1 em 200.000 adultos.

Jornal apresenta uma campanha de doação

Participe, colabore!